🇺🇸 AmarSemfim sailboat / 🇧🇷 veleiro amarsemfim

🇺🇸 Jeremiah 31:3 / 🇧🇷 Jeremias 31:3

🇺🇸 Newsletter Jan/2018 – 🇧🇷 Newsletter Jan/2018

8 Comentários

🇺🇸 English 🇧🇷 Português

🇺🇸 Once again we are posting on the blog, and we want to start the new update the same way we did last time… So we are now greeting the church of the LORD and our brothers and sisters with grace, mercy and peace from God the Father and Christ Jesus our Lord (2nd Timothy 1:2).

I apologize for the delay in publishing it.

This is going to be a quick update on how things are… and quite personal since it contains a confession. I look back to the end of 2017 and recall a prayer I said to God…

During our almost 5 years of doing missions, we have come across some pretty hardened hearts, sadly. Many people who would reject the Gospel, choose not to listen, decline an offer to freely be given a Bible, a devotional, a CD or a DVD; or they would turn their backs, change the subject, or even openly call us crazy, delusional etc. The curious thing is how it affects differently both Ric and I. Ric feels challenged by situations like this, and it sort of powers him into keeping on doing missions. I, on the other hand, sulk up. And the circumstances mentioned above, they sort of pile up and eventually I become discouraged. And here is my confession!

So, by the end of 2017, after encountering quite a few travelers and sailors from areas traditionally known as to having no regard for God nor His Gospel, I prayed to God one night and asked Him to please not let me feel discouraged. I know everyone who comes to us does so because He has led them to us. But I was “tired” of always approaching people who would eventually have what seemed to me hardened hearts. I asked Him to please send us people who would be legitimately thirsty for knowing more about Him and who He is, who would be open to understand and accept to listen to what God has to say to them through us, listen to our life testimony… and who wouldn’t shut Him out by avoiding us or labeling us, the Christians.

And how beautiful it is to be able to actually experience such a personal response to prayer, as we look back and see D., G.. and J., so open to hear about Jesus. D. is originally Jew. G. is Canadian and speakes mostly French. J. is also Canadian. Three very different people whom we met in very different occasions, but who brought me such a feeling towards God and His concern with our “needs” that I felt overwhelmed when I realized what He was doing.

D., countless times asked us about Jesus and our ministry, was very interested, intrigued and curious in knowing more and more. G., during a storm that hit us in the anchorage in Bimini, was literally saved by Ric from hitting the rocks and other boats in the anchorage (and causing himself, others and the boats some damage), repeatedly acknowledged being sure it was God who had sent Ric over to save him and his boat; showing, this way, such regard for the Lord we were not really expecting to see or hear, but which allowed us to freely share more about Jesus and our ministry. J., a very sweet and friendly lady sailor with her husband, approached us one morning, introduced themselves and as simple and easy as that became friends! We’ve exchanged cakes and sweets, went fishing for lobsters together, and had the opportunity to chat a couple of times about God and how He is in control etc…

God listens to our prayers and takes pleasure in answering them. Not always the way we want or expect… but more to the truth expressed in John 15 when Jesus is saying: “If you remain in me and my words remain in you, ask whatever you wish, and it will be done for you. This is to my Father’s glory, that you bear much fruit, showing yourselves to be my disciples.” (John‬ ‭15:7-8‬). It brings much peace and joy to my heart to be able to experience God in action in such way!

So, eventually, we left Bimini and headed to Nassau. That was an important trip because we needed to do some things which required a place with more resources than the one we had been in. So we needed to have our passports renewed, and we needed a Brazilian consulate in order to do so. We needed to fix our satellite phone which broke as soon as we arrived in the Bahamas – we could either send it to Miami, or find a place here in Nassau that could fix it. I needed to see a doctor for an exam I had been delaying and needed a nice hospital to have it done. We also needed to at least try to fix our wind generator – so useful specially here in the Bahamas where wind is so constant… And so many other small things. Nassau, we already knew, had all these!!!

The trip to Nassau was interesting. The first day allowing us to have a beautiful trip. The color of the see in the banks is something indescribable. What was most interesting is that it is not advisable to sail at night through the banks exactly because of the existance of the banks – obviously. So as odd as it may sound, we had to anchor (together with 4 other sailboats or so) away from the channel, but sort of in an open area. We had to pick a night that wouldn’t be windy because we wouldn’t be sheltered at all. The night ended up being ok. It rolled a bit, but we could rest well. The next day we had to finish sailing the banks and enter the sounds, then cross Andros on our right and Chub Cay on our left, then head other 30 miles till Nassau. While in the banks everything was easy, but it turned a bit rough (and a lot rougher later on) when we entered the sounds. It wasn’t a dangerous trip, the sounds, it was just very, very unconfortable. What made it more so was that we were sailing upwind in such way we could not even hoist the sails… the only way east was with the engine. So winds were coming one direction, waves another and we were trying to move ahead while we waited for them (wind and waves) to come to an agreement… which didn’t seem to be happening any time soon. On we headed and then… silence!!! Our engine simply stopped. Truth be said we had already prayed for better weather so many times that day, that I wasn’t expecting a surprise like this. Only 18 miles more and we would be in Nassau… only about 3,5 hours. And the engine stops? Really!?! But God… Oh God is so good and gracious! God’s gifted Ric with this incredible ability in mechanics and it seemed to me that God was whispering in Ric’s ear: “Do this… Check that… Go see that other thing…” And in no more than 20 minutes we were good to go. Just in case you are wondering what happened, something got caught in the hose that sends fuel from the tank to the engine and it got clogged. So, after such an adventure, we were finally able to arrive in Nassau by night, that very same day, praying to the LORD and singing Him praises for His goodness, His control, His presence all the while, for His beautiful creation, His love and grace.

So now (originally written on the 31 of January, 2018), we’ve already managed to have the satellite phone fixed, the wind generator looked into (not repaired though), the passports emitted and I had the exams done and found out everything is fine! So many motives of praise.

Because we connected so beautifully with St Andrews Presbyterian Kirk here in Nassau the last time we were here (March 2017) and this time over again, we’re staying here for about 2 other weeks (current date of publishing). They have amazing children, youth and women groups (the latter being called Proximity242 – with a hashtag of #NODLA – meaning No One Does Life Alone), and I ask you to have them in your prayers as they serve the Lord here in this island. The Lord has blessed us immeasurably while fellowshipping with them and this connection will certainly be missed when we sail off to Cuba.

We are now almost ready to move on! From Nassau, hopefully we’ll be going to Spanish Wells (where we will – God willing – fix an issue at the bottom of the boat), and sail south to Eleuthera and the Exumas. We still have some time in the Bahamas and we’ll gladly be taking one step at a time to go wherever and everywhere God is telling us to go.

Again, we keep praying for you who have sent us. We pray for you who support us in prayer and who bless us with resources that we receive with so grateful hearts. We go on praising the Almighty God for your lives, brothers and sisters, and over you we pray God will manifest His presence, that He will take care of you, guide you and bless you. May the grace of the Lord Jesus Christ, and the love of God, and the fellowship of the Holy Spirit be with you all (2nd Corinthians 13:14).

Helena, with Ricardo, Juca and Mari
(OBS.: Below, after the Portuguese version of the post, you will find pictures of us during the month of January, 2018. Please, click the pictures to access their captions.)

🇧🇷 Mais uma vez estamos postando no blog, e queremos começar a postagem da mesma maneira que fizemos anteriormente, saudando a igreja do Senhor e nossos irmãos com a graça, a misericórdia e a paz da parte de Deus e Jesus Cristo, nosso Senhor (2a Timóteo 1:2).

Lamento a demora da liberação da postagem.

Esta será uma postagem mais breve sobre como as coisas estão por aqui… e um tanto pessoal, uma vez que ela contem uma confissão agora, na primeira parte. Eu olho para trás, para o final de 2017 e relembro uma oração que fiz a Deus…

Durante nossos quase 5 anos fazendo missões, nós nos deparamos com vários corações endurecidos, infelizmente. Muitas pessoas que rejeitaram o evangelho, escolheram não escutar, recusaram uma oferta de receber de graça uma Bíblia, um devocional, um CD ou um DVD, ou que viravam a costas, mudavam de assunto, ou mesmo nos chamavam de loucos, iludidos etc. O curioso disso é a forma como isso nos afeta, ao Ric e a mim, diferentemente. Ric se sente desafiado por situações assim, e isso meio que lhe dá mais energia para seguir evangelizando. Eu, por outro lado, me calo. E as circunstancias mencionadas acima, vão como que se acumulando e eu acabo ficando desanimada. Aqui está a confissão!

Então, no fim de 2017, depois de ter encontrado um razoável número de viajantes e velejadores de regiões tradicionalmente conhecidas por não terem nenhuma consideração para com Deus ou o evangelho, eu orei ao Senhor e Lhe pedi por favor para não me deixar desanimar. Eu sei que cada pessoa que vem até nós o faz porque foi dirigida pelo Senhor. Mas eu estava ficando “cansada” de sempre abordar alguém que tivesse um coração “aparentemente” endurecido. Eu Lhe pedi para que por favor nos enviasse pessoas que tivessem legitimamente grande sede por conhecer mais dEle e quem Ele é, que estivessem abertas a entender e aceitar o que o Senhor tem para dizer para elas através de nós, a ouvir nosso testemunho de vida… e que não O repudiassem ao nos evitar ou nos rotular, nós, os Cristãos.

E que lindo é poder experimentar uma resposta tão pessoal, ao olharmos para traz e vermos D., G. e J. tão abertos para ouvir sobre Jesus. D. é judeu, originalmente. G. é canadense e fala francês (quase nada de inglês). J. é canadense. Três pessoas bem diferentes, que encontramos em ocasiões variadas, mas que me revelaram um sentimento especial para com o Senhor e Sua preocupação com as nossas “necessidades”, que me senti transbordar quando percebi a forma como Ele estava agindo. D., inúmeras vezes nos perguntou sobre Jesus e nosso ministério, estava muito interessado, intrigado e curioso em saber mais e mais. G., durante uma tempestade que nos atingiu em uma ancoragem em Bimini, foi literalmente salvo pelo Ric de bater nas pedras e em outros barcos na ancoragem (e assim causar a si mesmo, a outros e aos barcos um pouco de estrago), repetidamente reconheceu estar certo de que fora Deus quem enviou Ric para salvar sua vida e seu barco. Mostrando assim um respeito pelo Senhor que não esperávamos ver ou ouvir, mas que nos permitiu compartilhar livremente mais sobre Jesus e nosso ministério. J., uma senhora muito simpática e querida junto com seu marido se aproximou de nós uma manhã, se apresentou e assim, tão simples e facilmente nos tornamos todos amigos. Trocamos bolos, doces, e pescamos lagostas juntos. Tivemos a oportunidade de convesar algumas vezes sobre Deus e como Ele está no controle.

Deus ouve nossas orações e tem prazer em respondê-las. Nem sempre do jeito que a gente quer ou espera… e sim tendo mais a ver com a verdade expressa em João 15 quando Jesus está dizendo: “Se permanecerdes em mim, e minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos.” (João 15:7-8). Isso traz muita paz e alegria ao meu coração… poder experimentar Deus agindo desta maneira!

Então, finalmente, partimos de Bimini e nos dirigimos a Nassau. Esta era uma viagem importante porque precisávamos fazer algumas coisas que exigiam um pouco mais de recursos do que os que tinhamos em Bimini. Nós precisávamos renovar nossos passaportes; e para isso, uma embaixada do Brasil era necessária. Precisávamos consertar nosso telefone satelital que tinha parado de funcionar bem quando chegamos nas Bahamas. Eu precisava ir a um médico e fazer alguns exames de rotina. Nós também tinhamos que ao menos tentar consertar nosso eólico – tão útil em especial se estamos nesta região onde o vento sopra constantemente…. Isso tudo entre outras coisas. E Nassau, nós já sabíamos, tem tudo isso.

A viagem até Nassau foi bem interessante. Tivemos um primeiro dia de viagem muito bonito. A cor do mar na região dos bancos de areia de Bimini é simplesmente indescritível. O que foi mais interessante foi que não é recomendável velejar pelo canal dos bancos à noite, por causa dos próprios bancos de areia – obviamente. Então, por mais estranho que pareca, nós tivemos que ancorar fora do canal (junto com mais outros 4 veleiros), meio que em uma área aberta e sem proteção. Tivemos que escolher um período em que não houvesse muitos ventos pois não teríamos abrigo algum. A noite acabou indo muito bem. O barco balançou um pouco, mas conseguimos descansar. No dia seguinte, tivemos que terminar de velejar pelos bancos e entrar no que eles chamam de “sounds”, que é uma região com bem mais profundidade. Em seguida, navegar por entre Andros e Chub Cay e seguir as demais 30 milhas restantes até Nassau. Enquanto estávamos nos bancos, tudo foi muito agradável e tranquilo. Mas a coisa complicou (e complicou ainda mais, logo depois) quando entramos nos sounds. A viagem pelos sounds não foi em si uma viagem perigosa, mas foi muito, muito desagradável. O que a fez mais desagradável foi velejar contra o vento de forma que nem ao menos podiamos levantar velas… o único jeito de ir para o leste era usando o motor. Então, tínhamos ventos vindo de uma direção, ondas de outra, e nós tentando seguir adiante enquanto esperávamos que eles (ventos e ondas) entrassem em acordo… o que nao aconteceu muito em breve. Fomos seguindo adiante e, então… silencio!!! Nosso motor simplesmente parou! Confesso que já tínhamos pedido a Deus em oração por condições melhores de viagem algumas vezes naquela situação… entao, acho que dá para imaginar o tamanho da surpresa quando o motor parou. Faltava apenas 18 milhas e já estaríamos em Nassau… só mais 3,5 horas. E então, o motor pára? Sério, mesmo?!? Ahhh, mas Deus… Deus e tã bom e graciosos! Deus dotou o Ric com esta incrível habilidade em mecânica, e me parecia que Deus ia sussurrando ao seu ouvido: “Faz isso… Verifique aquilo… Vá ver aquele outra coisinha logo ali…”. E em não mais do que 20 minuntos, tudo se resolveu e estávamos prontos para seguir viagem. Caso estejam curiosos, o problema foi que a mangueria que liga o tanque de diesel ao motor, entupiu com um pedacinho de silicone que caiu dentro do tanque. Então, depois de tanta aventura, nós conseguimos chegar a Nassau já de noite, naquele mesmo dia; e oramos ao Senhor e cantamos louvores a Ele por Sua bondade, Seu controle, Sua presença durante tudo aquilo, por Sua criação, Seu amor e Sua graça.

Até agora (data original do texto: 28 de janeiro/2018), nós já conseguimos consertar o telefone satelital, trabalhar no eólico (infelizmente, sem sucesso), renovar nossos passaportes e fazer as consultas e exames necessários… Tantos motivos para louvar ao Senhor!!! Estamos então, agora, prontos para zarpar.

Por termos nos conectado tão bem com a igreja Presbiteriana de St Andrews aqui em Nassau (St. Andrews Presbyterian Kirk), acabamos decidindo ficar aqui por mais duas semanas (data em que publico a postagem). Eles têm um grupo incrível de crianças, jovens e mulheres (este último chamado Proximity 242 – que leva o hashyag #NODLA – significando No One Does Life Alone, ou “ninguem leva a vida sozinho”), e peço a vocês que orem por eles e por este ministério, enquanto eles servem ao Senhor e ministram na vida dos habitantes daqui da ilha. O Senhor nos abençoou imensuravelmente enquanto congregávamos lá, e essa conexão certamente nos fará falta quando partirmos daqui para Cuba.

Daqui de Nassau, com fé, vamos para Spanish Wells (ainda nas Bahamas). Lá, se Deus quiser, vamos resolver um detalhe de manutenção no barco e o tiraremos da água por um tempinho. Depois disso, começamos a viajar para o sul, passando por Eleuthera e pelas Exumas (ambas nas Bahamas). Nós ainda temos um tempinho aqui nas Bahamas e seguiremos dando um passo de cada vez em direção a onde quer que o Senhor deseje nos enviar.

Continuamos orando sempre por vocês que nos enviam. Que nos sustentam em oração e nos abençoam, dirigidos pelo Senhor, com recursos que recebemos com muita gratidão. Seguimos louvando o nome do Altíssimo pela vida de vocês, irmãos, e sobre vocês pedimos que o Senhor derrame mais de Si, cuide de vocês, lhes dirija e Se faça presente mais e mais. Que a graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês,

Helena, junto com Ricardo, Juca e Mari.
(OBS.: Abaixo, voce encontrara nossas fotos durante o mes de janeiro, 2018. Por favor, clique na foto para entender sua legenda)

Autor: helenayoshima

Tripulante da embarcação "Veleiro Amar Sem Fim"

8 pensamentos sobre “🇺🇸 Newsletter Jan/2018 – 🇧🇷 Newsletter Jan/2018

  1. Eu não tenho senha, não, Japa…😕

    Enviado do meu Samsung Mobile da Claro

  2. Querida e linda família, foi um prazer conhecer vocês. Que sigam levando a palavra do Senhor aos corações mais empedernidos, pois assim Ele deseja. Ide…

  3. Alo Helena e Ricardo.
    Acabei de ler o seu E-Mail.
    Obrigado pelas noticias.
    Deus continue abencoando voces na viagem
    E que voces possam alcancar almas sedentas para ouvir a mensagem que Deus vai colocar em seus labios.
    Conte com as nossas oracoes.
    Abracos saudosos.

  4. Thank you so much for sharing…I will definitely need to reread again to make sure it all truly sinks in. What a tremendous testimony your beautiful family lives. I thank God for his protection and guidance over you. May you continue to minister faithfully as you do. Take good care of each other. Love you guys so much! God bless. Hugs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s