Veleiro Amar Sem Fim

Há muito que o Senhor me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí. Jeremias 31:3


Deixe um comentário

What have we done so far?

As a way to let you into what we’ve done so far we decided to show you an image (which is worth 1000 words) of the globe. You’ll quickly notice the routes, traced in red, showing the places we’ve been to, stayed at and visited.

mapa-japs

In the near future, we’ll let you in our next route – to the Bahamas. 😉

Keep sailing with us,

Enjoy!

Amar Sem Fim Crew

 

Anúncios


Deixe um comentário

What next…? (2017 Spring & Summer)

So… here we are… some good months later… posting what’s next… what is to come!!!

So lots of things happened during our stay here in the USA which ended up assuring us God’s will for us now is that we go to the nations again.

And again, we’re heading to the Caribbean. Yes, we’re heading South for a change. It’s been so long we’ve been sailing North that this change is something were really looking forward to.

There is a plan, a route, which you’ll get to enjoy while sailing with us. For now, what I can let out is our first stop after leaving in the beginning of March, will be the Bahamas… and that during the hurricane season, we’ll be safe!!! We don’t want to go through what we went through last year when Matthew struck Florida in October.

But in all things, what we want to do is what He tells us to do. So if plans change, it’s a good thing. It shows our hearts are still open to obeying and going wherever He tells us to go. So sail with us!!!! 🙂

Changes are tough. Goodbyes are even tougher. But our Mighty God takes care of our hearts and the hearts of the ones staying staying behind (at least for this little while), who we know we can count on in supporting us in prayers (we need your prayers!!!).

So thank you!!! Big thanks to you, who helped us get organized, load the boat with whatever we need to take with us and help out communities and churches throughout the Caribbean; you, who help us with Bibles, provisions, toiletries, equipment, and so on and so forth.

We feel blessed and we praise the Lord for being able to see Him working through your lives as well, while you serve Him like this.

Thank you, Lord Jesus.
Amar Sem Fim Crew


2 Comentários

RIO – 74

Setenta e quatro dias no Rio de Janeiro… Para quem não ia nem entrar… para quem não queria nem parar na cidade maravilhosa, setenta e quatro dias foram surpreendentes!

Foram tantas coisas experimentadas por lá… E não poderíamos ser mais gratos a Deus pelo fato dEle ter no levado até lá… e lá nos guardado e abrigado… derramando sempre mais das Suas bênçãos.

Quem imaginaria, por exemplo, que ficaríamos ancorados na Urca? A hospedagem no Yacht Club do Rio era simplesmente impraticável… tão absurda quanto a de Ilhabela – SP. A solução que achamos foi ancorar em uma praia ali perto… pertinho… a praia da Urca… e ali esperar a peça (que ficou danificada com os ventos fortes da chegada) ficar pronta (mal sabendo que levaria mais de 2 meses). Descobrimos que a Urca é o único bairro na cidade do Rio que não tem favelas. Lá, há uma base da marinha e do exército… uma escola superior de guerra… apenas uma entrada para o bairro. Uma rua por onde entram ou saem. E na estrada do bairro, nesta “uma” rua, um posto da policia militar. Acho que era o lugar mais seguro que poderíamos estar!!!

Quem imaginaria também, que nesta mesma rua encontraríamos uma boa igreja (a PIBUrca – Primeira Igreja Batista da Urca)? Que visitamos logo que chegamos e procuramos frequentar sempre que os finais de semana nos permitissem… e também algum culto durante a semana. Que nos acolheu com tanto amor e carinho… que veio ao AmarSemFim, onde ministraram um culto de louvor e adoração ao Senhor… o primeiro (de muitos que, esperamos, ainda virão). De quem nos despedimos com tanto carinho e quem levamos junto conosco por onde vamos, em nossos corações!!!

Tampouco imaginaríamos que ali, encontraríamos um pet shop bom!!! Que cuidou mto bem da nossa pet e mascote, Jolie… e que nos indicou nada mais e nada menos do que uma dermato de cachorros!!! Sim, existe esta especialidade veterinária e foi alí que salvamos nossa pequena shih-tzu da alergia que judiava tanto da pele (e pelo) dela! A veterinária (Dra. Caroline) fez vários exames na Jolie e conseguiu pontuar com precisão o que a perturbava e, dessa forma, pode tratar dela… que ainda hoje se encontra com sua pele e pelo 100% recuperados!!!

São tantos “quem imaginaria” que tenho que tomar cuidado, pois certamente vou deixar algo de lado…

Lá na Urca, passamos o carnaval do Rio de uma maneira bem segura e tranquila! Foi pra lá que muitas vezes, família, família estendida (ou agregados) e amigos e irmãos na fé se dirigiram… ou para nos buscar para um churrasco, uma visita, um almoço, a visita a uma igreja… ou para velejar ou navegar um pouco com a gente no AmarSemFim. Foi lá na Urca que tiramos várias fotos de nascer e pôr-do-sol… com queridos… ou as vezes só nós mesmos. Foi ali na Urca também que nos desentendemos numa manhã de sábado… quando a estada prolongada e as dúvidas começaram a incomodar e colidiram naquela manhã… Foi ali mesmo também que pedimos perdão e nos perdoamos… e seguimos adiante, mais firmes, dedicados e decididos do que nunca. Foi ali que conhecemos amigos (vários) de diferentes partes do mundo… Alemanha, Suíça, Irlanda, Austrália e África do Sul…

Quando finalmente saímos do Rio, uma amiga, irmã querida nos escreveu – o que me encheu de lágrimas – que a paisagem da Urca nunca mais seria a mesma… pois o AmarSemFim já era parte dela! E foi assim mesmo que nos sentimos quando tivemos que nos despedir… deixando um pedacinho da gente ali an Urca.

Sabemos que não é um “adeus”… E, de certa forma, somos gratos a Deus pelas despedidas; porque são momentos tão ternos de carinho que sentimo-nos abraçados por Deus. Agradeço a maneira que estas despedidas nos proporcionaram momentos tão preciosos com as crianças. Quando pudemos trabalhar a dor e o sofrimento, a importância de se passar por eles, mas a vitória de poder olhar para eles com ternura, amor e carinho, e ao mesmo tempo olhar para frente… para o que Deus ainda tem pra nós lá na frente… e nos maravilharmos ainda mais; porque podemos confiar em Suas promessas, quando nos diz que Seus planos são perfeitos e que Ele sempre quer o melhor para nós – mesmo que este melhor, para nós, na hora não faça sentido, ou não pareça nada bom!

Ficar na Urca estes 2,5 meses nos permitiu também conhecer melhor o currículo de homeschooling que adotamos para este ano (Sonlight), e nos desenvolver tanto nos conteúdos acadêmicos quanto nas questões espirituais. Quando, por exemplo, tivemos a incrível oportunidade de estudar sobre da vida de Pedro profundamente, trabalhando com um livro (Starting Strong) que faz parte do currículo. Foi ali também que pudemos devorar vários livros nas tardes de chuva, ou tempo feio… ou quando não estávamos atrás de um cinema (no RioSul – quintal de casa rs).

No Rio, pude passar tempo com meu primo e sua família. Mais tempo do que passamos juntos nos últimos quinze anos (como ele mesmo comentou). Pudemos estreitar os laços com a família estendida do meu irmão mais velho, encontrando-nos com seus sogros e cunhados, e com eles vivendo uma comunhão muito gostosa e desenvolvendo uma amizade que também levamos sempre conosco. Pudemos rever amigos da igreja que não víamos há anos… e não digo poucos anos… e sim uns 15, pelo menos… E nos encontrar com mais amigos da igreja que não víamos a bem menos tempo, mas que nem por isso são menos queridos!!! E foi lá que fizemos ainda mais amizades… dentro da igreja, fora, dentro do meio náutico, fora… etc… Foi lá que também pudemos visitar marcos incríveis como a Floresta da Tijuca, o Morro da Urca e o Pão de Açúcar, e o Corcovado e o Cristo Redentor.

Agora pára tudo e pensa como não podemos ser gratos a Deus pelo tempo que Ele nos concedeu… nos presenteou, lá no Rio?! Viu, não dá, né? É impossível!!! 🙂

#AmarSemFim /)/)


1 comentário

Amar Sem Fim em: “Quem não tem cão…”

AmarSemFim no melhor estilo “quem-não-tem-cão-caça-com-gato”

Uma vez que não dá pra navegar, ou sequer velejar o Rio de la Plata, muito menos subir em direção ao Brasil (por enquanto), brincamos de barquinho aqui pela marina do clube, mesmo!!! 🙂

A verdade é que sabemos que Ele trabalha em nossa espera… Então, enquanto esperamos, aproveitamos pra deixar tudo em ordem para a saída. Porque na hora em que ELE levantar nossa âncora, estaremos prontos (como devemos estar) para sair, seguir e servi-LO, segundo o Seu propósito!!!

#SomenteÀDeusAGlória!


4 Comentários

“Regalitos”- Haha!!!

Haha!

Ter um vizinho barulhento é algo que nos incomodou durante muito tempo em Vinhedo – onde morávamos. Mas acordar a noite com o vizinho andando na sua casa, é outra coisa… e bem diferente.

Levei um mega susto hoje à 1:00am, quando acordei com passos na plataforma do barco, e gente caminhando pelo AmarSemFim. Nossa cabine (a do casal) fica na popa. Estamos parados na marina, de popa… porque fica muito mais fácil para entrar. E a plataforma do barco, auxilia ainda mais o acesso (principalmente para as crianças).

Acordei o Ricardo, que nem tinha tomado conhecimento do “invasor“… E ele me disse que o barulho era no barco ao lado… e voltou a dormir. Eu não acreditava que tivesse imaginado tudo aquilo que senti. Foram muitas sensações para ter sido apenas imaginação. Barco balançando quando a pessoa entrou, os passos na plataforma, na lateral do barco, e depois… silêncio! Foi tudo muito estranho e cheguei a pegar o telefone para mandar mensagem de ajuda pra algum de nossos amigos aqui na Argentina!!!

Ric cochilou e eu, com a adrenalina elevadíssima, nada!!!

De repente, ouço tudo outra vez… Só que fazendo o percurso inverso. A pessoa estaria “voltando”?! Sem a menor preocupação em estar em barco alheio, desceu da plataforma em direção a marina, fazendo um barulho agora bem mais alto?! Aí sim, o Ric acordou… e ouviu… e viu!!! Entendemos que deveria ser o vizinho, mesmo… e que, por estar parado de proa, apesar de ter escadinha, preferia passar pelo nosso barco para chegar ao seu… claro (SQN).

Mais uns 5 minutos… e o “invasor” retorna a ação… mais uma vez!!! “Cara de pau” pensei. E, desta vez, nós o acompanhamos pelas gaiutas para ver aonde realmente ia!!! SIM! Era o vizinho, voltando ao seu barco… não usando sua escadinha e passando pela minha casa!!!!

Mais tranquila pois não era realmente um “invasor”, acabei pegando no sono.

Acordamos pela manhã com nosso alarme às 8:00am… e em seguida: passos outra vez!!! Passos no barco, balanço, passos na plataforma, barulho. Menos mal que já estávamos acordados. Mas a coisa não estava agradando, não!!!

Enquanto as crianças e eu íamos levantando, Ric saiu, constatou que os vizinhos tinham acesso ao barco deles por uma escadinha (por mais que pelo nosso fosse mais fácil)… e resolveu levantar a nossa plataforma de acesso!!! Haha!!! (Score!)

Quem conheceu o velho Ricardo… o “Ricardo de Vinhedo“, sabe que “problema com vizinho” se resolvia de uma certa maneira!!!

Pois bem!!! Ric começou a fazer as panquecas para nosso café-da-manhã, enquanto as crianças se vestiam e eu ia colocando as toalhas pra fora, arrumando a mesa etc… Depois, ele nos serviu à mesa… e saiu para o cockpit com um prato na mão! Ouvi de dentro da cabine, ele falando do lado de fora:

“Buenos dias, amigos… les trago un regalo de Brasil”

E lhes deu um prato com panquecas. Ao que eles agradeceram, e muito.

Tomamos café e, de repente… “Vecino, vecino???” chamavam nossos vizinhos… Ric saiu para atendê-los. E para a nossa surpresa, fomos “regalados” com um vinho artesanal, orgânico, de Mendoza!

Só consigo pensar em Provérbios 15:1 ==> “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.

* Gentileza Atrai Gentileza
* A Palavra Branda Desvia O Furor
* Provérbios De Salomão

AmarSemFim |)|)

Vino Tinto Syrah Orgânico / Mendoza

Vino Tinto Syrah
Orgânico / Mendoza

Você já viajou com o AmarSemFim?

2 Comentários

Você já viajou com o AmarSemFim? Fez alguma perna (ou tramo) com a gente?

** Quer dar uma espiada, e ter uma idéia de como seria??? **

Este vídeo, curtinho, foi gravado no comecinho de 2013… qdo íamos com a família Borba dar uma passadinha em Ubatuba – SP, saindo de Ilhabela – SP!!!

Pegamos vento suave e constante… uma delícia.

Vou procurar outros vídeos e fazer uma edição com os “melhores momentos” de trechos de navegação do AmarSemFim, em breve!

#AmarSemFim |)|)


Deixe um comentário

Artigo escrito ao Jornal Almanáutica – em Setembro/13

Ricardo Yoshima, sua esposa Helena M. Yoshima e os filhos João Filipe e Maria Clara, além da Jolie – a cadelinha mascote – contam como largaram tudo – ou quase tudo – e vivem no veleiro AmarSemFim (antigo Mar Sem Fim).

Não faz um ano. Fiz uma busca no meu computador e vi que abri uma pasta inti- tulada “projeto Viver a Bordo” no dia 21 de Agosto de 2012. A ideia (e a vontade…) nasceram um pouco antes. Mas importa dizer que faz pouquíssimo tempo que eu e minha esposa começamos a pensar em mudar de vida… Naquela época eu ocupa- va o cargo de Secretário de Assuntos Jurí- dicos em Guarulhos-SP, e vivia correndo atrás do vento. Além do cargo, era sócio de empresas e advogado. Tinha três celulares, viajava 240 quilômetros todos os dias e es- perava ansiosamente todos os finais de se- mana, quando podia desligar tudo e curtir um pouco minha família.

Tinha férias 15 dias por ano emendando feriados e tentando prolongar aquela sen- sação de que a vida deveria ser inversa, isto é, 30 dias de trabalho e o resto em férias. Lancei o assunto para minha esposa, Hele- na, de forma bem planejada e dissimulada: – Se eu fosse muito rico, milionário mes- mo, o que você gostaria de fazer ou comprar?

Confesso que esperava outra resposta, mais material, mais definida, menos abstrata:
– Viajar…
Como eu adoro esta mulher. De todas as respostas possíveis, ela respondeu na “lata” tudo o que eu precisava para conti- nuar o projeto.

– Então vamos comprar um veleiro-casa e sair viajando em 2014…
Minha experiência com veleiros se resu- mia em algumas velejadas com um Laser na represa Billings. Sempre fui mais “lancheiro”. A Helena sorriu, sorriso tipo Mo- nalisa, mas ela conhecia muito bem aquela situação: a casa caiu!!! Ele vai fazer de uma forma ou de outra…

Então percebi que a mudança não seria apenas de fora para dentro. De alguma forma Deus me fez ver que correr atrás do vento é inútil, destrutivo e desanimador.

Image

A caminho da Argentina… e da vida

Compramos um veleiro especial, que é bastante famoso por uma expedição anterior (o veleiro Mar Sem Fim, do João Lara Mesquita). Vendemos quase tudo: carros, casa, mobília, terreno.

Doamos brinquedos, roupas, coisas que não podíamos manter em nossa vida nova, coisas que nos mantinham conectados com um modo de vida massacrante e insano.

Image

A família Yoshima (com a mascote): mudança de atitude, de vida e de casa…

Até perdi o emprego em janeiro deste ano. Explico: em um emprego político, nin- guém ia querer uma pessoa que estivesse com a cabeça em uma viagem de veleiro. Mas como se maneja um veleiro de qua- se 20 toneladas sem experiência prévia? A resposta veio rápido: Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro, a ABVC. Soubemos que em março zarparia o Cruzeiro Costa Sul, e seria uma ótima oportunidade para viajar com gente experiente e que po- deria nos ensinar a velejar de forma segura e divertida. O cruzeiro passava por vários portos e paradas, e acabamos nos juntando com o Crucero de La Amistad, organizado por nuestros hermanos argentinos. E em Florianópolis fomos convidados a seguir com eles para Buenos Aires. Sair do Bra- sil? Encarar latitudes tão baixas logo na primeira viagem? Ventos contrários, mar violento? Resposta da Helena: Claro que sim…

Foi grande a emoção quando em Chuy, chamamos o controle uruguaio:
– Control Chuy, control Chuy… Llama velero AmarSemFim, de bandera de Brasil… – Si, velero AmarSemFim, por favor informe matrícula, posicion, rumbo, velocidad, eslora, manga, y puerto final por favor. Estávamos sozinhos, atravessando a fronteira e chegando a outro país, poucos me- ses depois de ter a ideia e resolver mudar de vida. Chegamos a Buenos Aires em 27 de abril, depois de uma rápida parada em Punta de Leste, no Uruguay.

Conviver com a família todo o tempo é uma experiência nova para nós. Brigas e desentendimentos ocorrem com frequência, mas estamos aprendendo rápido. Aprendendo que cada um necessita do outro, e que todos tem responsabilidades. Aprendendo que Deus é Senhor do tempo e que hoje é um dia único, especial, que po- demos viver plenamente, gozando a vida e descansando. Meu trabalho é divulgar essa mudança, que só ocorreu porque foi de dentro pra fora, mudança de coração, mu- dança de mente, e mudança de alma.

Para viver no mar como nós, existem cer- tos requisitos que julgo necessários, embo- ra não indispensáveis. Ter noções de física, mecânica, bom preparo físico, além de uma mulher disposta a encarar a educação doméstica dos filhos, são algumas delas, além de uma fonte de renda. Mas mudar seu coração, passar a encarar as coisas sob a visão de Deus, e ser livre da sensação de vazio e desesperança estão ao alcance de todos. Basta querer!

(Ricardo Yoshima é advogado e empresário, Helena M. Yoshima é professora. Com os filhos vivem no veleiro AmarSemFim, e no amar sem fim de Deus)

Image